sábado, 13 de janeiro de 2018

Cartão de Crédito

Outro dia eu fui fazer uma compra onlaine, porque eu já sou moderninho.
Eu fiz isso no Faierfócs do computador da delegacia, porque é mais seguro do que o Gúgou Crom.
Na hora que o saite pediu o cartão de crédito, eu enfiei o mesmo no buraco de CD do computador.
Só que eu não sabia que não podia fazer isso.
Daí o leitor de CD girou o meu cartão lá dentro e passou um leizer nele.
Isso danificou o chips.
Agora eu não posso nem fazer compras, nem ouvir os meus CDs favoritos.
É possível que nem tivesse dinheiro no cartão.
Mas ele tinha um valor emocional, porque era do Bamerindus.
Obrigado.

sábado, 6 de janeiro de 2018

Biologia

As pessoas sentem dor de barriga quando o rectum está tortum.

sábado, 30 de dezembro de 2017

Astronomia

Pelo segundo anno consecutivo o ano novo caiu no final de semana.
Isso significa que o mundo vai acabar mais uma vez, como aconteceu no anno passaddo.
Esse fenómenum só vai se repetir novamente mais uma vez em 2022.
Aí teremos o fim do mundo em 2 annos consecutivos novamente.
Existe 99% de chance de eu estar enganado.
Mesmo assim, eu vou escrever o meu testamento, caso o mundo acabe de verdade.
Eu recomendo que todo mundo aí na internet escreva um testamento, porque o mundo pode acabar a qualquer momento.
Fin.

sábado, 23 de dezembro de 2017

Peru de Natal

Eu tenho medo do Peru de Natal.
Ao mesmo tempo, eu acho gozado aquele termômetro que pula de dentro da ave quando tá na hora de tirar do forno.
Na realidade eu nunca vi o negócio pulando ao vivo. Eu sempre fico esperando na frente do peru, só que, em um determinado momento, eu começo a dar risada e passar mal.
Daí eu acabo não vendo.
A mesma coisa acontece quando eu espero o cuco sair de dentro do relógio.
É sempre gozado esperar essas coisas que saltam de dentro de outras coisas.
Uma vez eu tava segurando a filmadora da marca Fílips, da delegacia, bem na frente do forno da delegacia, bem na hora que o termômetro do peru ia pular.
Só que na hora eu gozei e a imagem tremeu.
O Peru de Natal da delegacia é meio que comunitário. Todo mundo pode comer. Só que tem que ser um pedaço bem pequeno.
Eu prefiro a Páscoa da delegacia, porque eu tenho bem menos medo do coelho.
Obrigado.

sábado, 16 de dezembro de 2017

Ilustríssimo

Todo mundo sabe que, além de policial, eu sou vereador de Curitiba.
Tem um outro vereador, com o qual eu preciso sempre me comunicar via textos impressos.
Isso gasta papel, mas é a lei e eu preciso cumprir à risca.
Daí tem 2 coisas gozadas:
1) Eu preciso seguir sempre a norma oficial de redação, usando a versão resumida do pronome pessoal de tratamento "Ilustríssimo"
2) O nome do vereador é Ilmo.

Daí eu sempre preciso começar o texto com: "Ilmo. Ilmo"
O sobrenome dele poderia ser Ilmo também.
Daí eu ia gozar em dose tripla.
Fin.

sábado, 9 de dezembro de 2017

Seria a Televisão um Portal Para Outra Dimensão?

Muita gente acredita que a TV seja um portal para outra dimensão. Principalmente quando está sintonizada na Rede Globo.
Talvez isso aconteça porque as imagens, personagens e situações que aparecem nas novelas e na Sessão da Tarde meio que não condizem com a realidade.
Pensando bem, o futebol e o Jornal Nacional meio que não condizem com a realidade também.
Eu posso estar enganado, porque, aqui na delegacia, tem sempre uma galerinha muito louca, aprontando altas confusões, em um clima de muita azaração.
Além disso, eu tenho certeza de que, em vários momentos da minha vida, a voz do Galvão Bueno está narrando, dentro da minha cabeça, tudo que acontece.
Mas eu não sei se tudo isso é real ou se é apenas o contato que eu tenho com substâncias ilícitas quando eu preciso encostar nos bandidos.
Daí, outro dia, eu resolvi fazer um experimento científico, para descobrir se realmente a TV era um portal para outra dimensão.
É um experimento que você podem repetir em casa, usando itens que podem ser encontrados na própria cozinha.
Como sempre acontece nos meus experimentos, eu utilizei um acelerador de partículas (que é um equipamento que já faz parte da própria TV).
Eu já havia demonstrado, em outros experimentos, que o acelerador de partículas poderia ser usado tanto como teletransporte, como passagem para outras dimensões:
http://viatura311.blogspot.com.br/2014/04/acelerador-de-particulas-caseiro.html
http://viatura311.blogspot.com.br/2017/02/como-fazer-uma-maquina-de.html
Em comparação com esses experimentos anteriores, o que eu fiz agora é bem simples.
Primeiro eu imaginei que, caso a TV seja realmente um portal para outra dimensão, a única coisa que impede que as pessoas entrem lá é aquele vidro que tem na frente do aparelho.
Então, para eu me teletransportar para outra dimensão, bastaria sintonizar na Rede Globo (lembrando que, nos meus experimentos anteriores, eu nunca tinha sintonizado nada) e tirar o vidro da frente da TV.
A minha idéia era que, tirando o vidro, os raios catódicos iriam conseguir sair da TV e me desmaterializar.
Como a TV estava sintonizada, eu iria me rematerializar no local sintonizado.
Quais foram as minhas conclusões?
1) Os raios catódicos, como previsto nos meus outros experimentos, desmaterializam a matéria.
2) O processo de teletransporte faz a pessoa ficar inconsciente.
3) A matéria (no caso, eu) é transportada para o local previamente sintonizado na TV.

Agora, a grande questão: A TV realmente é um portal para outra dimensão?
A resposta é não.
Na realidade a pessoa é teletransportada para o cenário, entro do estúdio de gravação.
Em todas as minhas tentativas de teletransporte eu fui parar no cenário do "Plantão Médico".
É um cenário bem realista e eles tem atores bem convincentes. Tem até remédio lá.
Como que eu sei que era só um cenário e não outra dimensão?
Eu sempre volto pra casa de ambulância, e não através da TV.
Obrigado.