sábado, 12 de outubro de 2019

Intelectualidade

Eu gosto de quebrar o processo argumentativo de pessoas inteligentes contradizendo as afirmações delas por meio de frases de efeito que, em si, não possuem nenhum valor argumentativo naquele contexto.

sábado, 5 de outubro de 2019

Como Fabricar Antimatéria Usando Itens Que Você Encontra Na Própria Cozinha

Daí galerinha! Hoje eu vou ensinar como fabricar antimatéria usando itens que você encontra na própria cozinha.
Quem acompanha o meu blógue deve pensar "ah, mas o Ramirez já ensinou como fabricar um teletransporte e abrir um buraco para outra dimensão. Fabricar antimatéria deve ser bem fácil."
Na-na-ni-na-não.
Nesse experimento nós não vamos usar somente os tubos de imagens (acelerador de partículas) das TVs velhas. Vamos usar também o aparelho de microondas. E também aquelas lâmpadas velhas nocivas que produzem radiação ultraviolenta.
Ah, seria bom também uma pequena quantidade de elementos radioactivos. Eu consegui algumas amostras da delegacia, na última reforma em que eles trocaram todas as placas de "saída" que brilham no escuro. Tinham alguns detectores de fumaça velhos dentro do lixo. Esses são uma boa fonte de raios gamma também.
"Mas, Ramirez, pra que serve a antimatéria e por que eu quero ter ela em casa?"
Eu andei pensando nesse assunto e cheguei à seguinte conclusão: Inflação!!!
A fabricação de antimatéria consome a mesma quantidade de energia que a própria antimatéria devolve. A diferença é que, no ano que vem, quando a energia eléctrica estiver custando o dobro do preço, eu vou poder usar a antimatéria que eu fabriquei pelo preço antigo.
Eu sou muito esperto.
Bom, chega de papo.
Vamos agora seguir passo a passo o meu tutorial.
Primeiro, como sempre, retirem os tubos de imagem (aceleradores de partículas, canhões de electrons, etc, etc...) de dentro das TVs velhas.
Agora disponham todos os tubos de imagem em um círculo no chão, cada um ligado a uma tomada (de preferência de 220 volts) da casa.
Entre cada um, vamos colocar uma apequena amostra de material radioactivo para ser acelerado juntamente com os electrons.
Em pontos aleatórios desse círculo, vamos colocar também aquelas lâmpadas fosforescentes que liberam radiação ultra-violenta.
Por último, vamos colocar o microondas bem no meio do círculo, com a porta aberta para que as micro ondas possam sair.
Agora é só ligar tudo durante cerca de uma hora.
No ponto de encontro entre os electrons, a radiação ultraviolenta, os raios gamma e as microondas será criado um pósitron.
Eu sei. Isso não dá nem um mol.
Ontem eu liguei tudo isso direto no poste de energia eléctrica e consegui fabricar um antiproton.
Mas, logo em seguida, a minha cozinha se desintegrou.
Os vizinhos chamaram a polícia e falaram que eu tava fazendo um buraco negro em casa.
Eles não sabem de nada.
Eu sou da polícia.
O chefe me deu uma mijada.
Antes tivesse me prendido.

sábado, 28 de setembro de 2019

Complexidade Gramactical

O chefe sempre usa a palavra "aglutinar" e eu sempre confundo com a palavra "deglutir".
Acho que isso acontece porque tem o sufixo "glúteo" ali.
Obrigado.

sábado, 21 de setembro de 2019

Lorem Ypsulon

Ontem o chefe mandou um email pra todo mundo pedindo que os relatórios policiais fossem padronizados.
Ele explicou depois, em reunião, que alguns relatórios (quase todos os meus) não faziam sentido nenhum.
Ele falou também que, além de serem extremamente exagerados, os meus relatórios seguiam a estrutura de um blog, como se estivessem sendo lidos onlaine por várias pessoas.
Nessa hora eu comecei a rir por dentro e passar mal.
Daí o chefe falou que, em vários trechos, eu faço relatos desnecessários sobre as coisas cômicas que eu presencio e a minha necessidade de conter a gargalhada.
Nessa hora eu comecei a rir pelo nariz.
O chefe imediatamente olhou pra mim.
Daí eu falei pra ele que eu estava escrevendo o meu relatório sobre a reunião daquele exato momento.
Ele continuou a falar com todo mundo, mas, a partir daquela intromissão, eu comecei a fingir que eu estava anotando tudo que o chefe fazia.
Depois, o chefe mandou eu entregar o meu relatório de hoje pra ele.
O espertinho achou que ia me surpreender com um texto cheio de gozações sobre a reunião.
Só que não.
O meu texto seguia exatamente a estrutura que ele mesmo enviou de modelo:
Lorem Ypsulon
Hojis delegacium carcerajis bandidum praesum. Chefis convocaum reunionis policiarem todus. Crimis nulum.
Obrigadum.

sábado, 14 de setembro de 2019

Informação de Alto Interesse Público

Só divulgando:
Assim como o meu blógue (que, por sinal, foi pioneiro nesse assunto), agora o Itamaraty também está instruindo as pessoas sobre o que fazer no caso de invasão aliemnígena.
Por meio do curso de formação para promoção na carreira de oficial de Chancelaria, os alumnos estão aprendendo a lidar com essas situações. Quem tiver interesse, é só acessar o link:
https://g1.globo.com/politica/blog/matheus-leitao/post/2019/07/03/curso-do-itamaraty-pergunta-como-proceder-em-caso-de-invasao-de-alienigenas.ghtml
Tudo bem que não são situações do dia a dia, mas é um diferencial.
Analogia:
Se todos os concorrentes já falam Inglês fluente, aquele que fala Javanês deve ter algum tipo de vantagem. Ou não.
De qualquer forma, quem quiser um curso mais completo, não deve ir até o Itamaraty e pagar uma fortuna por isso.
Basta conversar comigo que, por 10 reais, eu explico tudo que precisa fazer no caso de uma invasão aliemnígena.
E mais: Eu acho que a invasão em si nem é o problema. Por mais 20 reais eu explico como fazer para evitar ser abduzido.
Eu não sei de vocês, mas eu prefiro levar um tiro de raio leizer durante uma invasão do que ter uma sonda aliemnígena inserida em algum orifício do corpo durante uma abdução.
Todas essas informações estão disponíveis de forma gratuita aqui no meu blógue.
Obrigado.

sábado, 7 de setembro de 2019

Filosofia, Dimensões Paralelas e Conspirações

Eu sempre pensei que a TV poderia ser um portal para outra dimensão. A única barreira impedindo os telespectadores de entrar nessa dimensão seria aquele vidro que tem na frente da tela.
É claro que, para fazer a viagem entre as dimensões, o telespectador precisaria ser desmaterializado pelo tubo de imagens (também conhecido como tubo de raios catódicos ou canhão de eléctrons). Ou, no caso das TVs mais modernas, de plassmann, as pessoas são desmaterializadas pelo Rutherfordium, que é um elemento da tabela peródica.
Mas, e se eu estiver errado?
Vocês já pararam para pensar que talvez nós, pessoas, sejamos criaturas bem pequenas que vivem dentro das câmeras de TV?
As nossas supostas "televisões" seriam meras janelas nas quais a gente enxerga aquilo que o cinegrafista quer que enxerguemos.
Isso tudo faz parte de uma conspiração para ocultar o formato real do planeta Terra e trocar o gênero das pessoas.
Fin.